Saiba porque o azeite pode cristalizar no inverno


Saiba porque o azeite pode cristalizar no inverno

O azeite extra virgem de oliva é a única gordura vegetal obtida por processo mecânico simples, o que faz dele um sumo de fruta natural e muito saudável. Por ser assim elaborado, deve ser consumido fresco e, se conservado corretamente no local de produção, sua vida de prateleira é em média de 18 meses após o envasamento.

A temperatura ideal de conservação de um azeite extra virgem de qualidade é em torno de 18-20 C. Durante o verão tropical, a porta da geladeira, portanto, pode ser um bom lugar para conservar garrafas fechadas. Uma vez aberto, o ideal é conservá-lo em um ambiente fresco, protegido da luz e consumi-lo em até 60 dias.

Em temperaturas ambientes frias, como as que se apresentam no inverno do sul do Brasil, é comum encontrarmos em casa ou nas prateleiras dos mercados, azeites com seu estado físico modificado, mas isso em nada prejudica sua qualidade. Por sua composição química, rica em gordura monoinsaturada, seu estado físico começa a se modificar naturalmente em temperaturas abaixo de 10 C, congelando por completo em temperaturas positivas próximas de zero e rapidamente voltando ao estado líquido, quando colocado a 20 C, sem nenhuma perda nutricional ou organoléptica.

Portanto, ao se deparar com seu azeite extra virgem em casa ou no mercado nessas condições, saiba que isso não é um problema, ao contrário, ele estará perfeitamente conservado.

Para acelerar seu descongelamento, evite o banho-maria ou qualquer choque térmico maior. Antes de usá-lo, deixe-o em um ambiente em torno de 20-25 C e ele rapidamente voltará ao seu estado líquido, pronto para ser consumido e plenamente desfrutado.

 

Escrito por Marcelo Scofano

www.estilogourmet.com.br  av. eng. richard, 24 - Grajaú 2577-8833 98443-8833




Por
15/08/2018


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!