Molho pesto: conheça a origem desse acompanhamento delicioso


Molho pesto: conheça a origem desse acompanhamento delicioso

Está sem tempo de ler agora? Que tal ouvir o artigo? Experimente no player abaixo!

Já faz muitos anos que a combinação de azeite com manjericão faz sucesso entre os amantes da boa gastronomia. De origem italiana, o molho pesto é um prato fácil, prático e muito saboroso.

Umas das grandes vantagens do molho é a sua versatilidade. Isso porque ele pode ser servido em massas, carnes, peixes, torradas, saladas, canapés ou dar um toque especial aos sanduiches.

Ficou interessado no assunto? Então, continue lendo este post. A seguir, você vai descobrir a origem do molho e ainda aprender uma deliciosa receita:

A origem do molho pesto

Feito de azeite extra virgem, manjericão, pinoli, queijo pecorino e parmesão, sal e alho, o molho pesto tem origem na cidade de Gênova, na Itália. Devido ao clima favorável, a região possui uma incrível variedade de ervas e outros alimentos. E é lá que se encontra o manjericão mais aromático e saboroso do mundo.

O 1º registro do molho que se tem notícia vem da “Cuciniera Genovese”, um dos escritos dos irmãos Ratto. Originalmente, o manjericão era macerado em um pilão — tradição que resiste até hoje em Ligúria.  A palavra pesto tem origem no verbo italiano “pestare” que quer dizer macerar.

A cidade italiana tem tanto orgulho do seu pesto que todas as famílias possuem uma receita própria. No entanto, doses generosas de azeite extra virgem, manjericão fresco e um pilão para moer tudo são itens obrigatórios em qualquer preparação legítima.

Dica:Conheça os sabores incríveis da culinária do Mediterrâneo

O modo de preparo original

Há uma explicação para o uso do pilão em receitas tradicionais: o objeto, com o movimento rotatório das mãos, fazem com as folhas do manjericão se rasguem e acentuem o seu sabor.
Originalmente, era colocado o alho e o sal grosso na base do pilão — importantes ingredientes para evitar a oxidação das folhas da planta. Em seguida, acrescentava-se aos poucos o manjericão (folhas lavadas e secas) até obter uma pasta homogênea.

Os queijos parmesão e pecorino vinham logo depois e, por último, o molho recebia doses de azeite. A tradição ainda persiste em casas mais tradicionais. No entanto, principalmente aqui no Brasil, as pessoas se renderam à facilidade do liquidificador

Não há problema em usar o instrumento. Porém, se você quer fazer um molho legítimo, é importante ficar atento: o liquidificador, além de possuir lâminas de aço, emite calor; o que poderá aquecer o manjericão e oxidá-lo.   

A boa notícia, contudo, é que você não precisa abrir mão da praticidade. Uma dica é usar o aparelho na velocidade mínima e fazer pequenas pausas para evitar o aquecimento. Caso queira conservá-la, não se esqueça de cobri-la com um pouco mais de azeite para manter o sabor original.

Conheça os nossos azeites extra virgens clicando no banner abaixo!
banner azeites

A receita do legítimo molho pesto

Ingredientes:

2 xícaras (chá) de manjericão fresco
½ xícara (chá) de pinoli (pode substituir por nozes)
1 xícara (chá) de queijo parmesão ralado
2 dentes de alho
1 ½ xícara (chá) de azeite
Sal a gosto

Modo de preparo:

No pilão

Coloque sal e, logo em seguida, o manjericão. Amasse as folhas até criar uma pasta homogênea e acrescente os outros ingredientes. Deixe o azeite por último.

No liquidificador

Coloque todos os ingredientes, exceto o azeite. Este deve ser incorporado aos poucos até que o molho fique na textura desejada. Não se esqueça de dar pequenas pausas no liquidificador para evitar o aquecimento.

Gostou de saber mais detalhes sobre o delicioso molho pesto? Então, curta a nossa página no Facebook e fique por dentro de outras dicas incríveis!
 




Por
25/05/2017


Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!

Assine nosso blog

Não perca nenhuma novidade!